Sistema Portuário em SC

História dos portos catarinenses

O surgimento dos portos em Santa Catarina tem a ver com a demarcação, a ocupação e o povoamento do território.

Leia mais(pdf)
 

 

Os portos catarinenses como elos de cadeias logísticas

Para uma melhor compreensão da inserção da economia catarinense no mundo globalizado, apresenta-se a situação atual dos portos catarinenses, como elos de cadeias logísticas, e identificam-se as principais perspectivas que se apresentam para o desenvolvimento futuro do setor.

Leia mais(pdf)
 

 

A importância da cabotagem para Santa Catarina

Naqueles longínquos tempos em que o transporte marítimo era o único existente para vencer grandes distâncias, a cidade de Nossa Senhora do Desterro, hoje Florianópolis, por ter o único porto seguro entre a Corte, no Rio de Janeiro, e Buenos Aires no Rio da Prata, tornou-se de grande importância para a manutenção do comércio no Sul.

Leia mais(pdf)
 

 

A influência da navegação de cabotagem na fundação de Itajaí e Blumenau

A navegação ao longo de 70 quilômetros a montante da foz do Rio Itajaí deu condições da ocupação do Vale do Itajaí e em 1850 foi fundada a cidade de Blumenau.

Leia mais(pdf)
 

 

A influência da navegação de cabotagem na fundação de Joinville

Joinville foi oficialmente fundada em 9 de março de 1851, dia da chegada da barca Colon, vinda de Hamburgo (Alemanha), após três meses de travessia pelo Atlântico com o primeiro grupo de imigrantes alemães.

Leia mais(pdf)
 

 

Novos Projetos:

Porto Turístico Internacional de Santa Catarina

Terminal Portuário de Uso Privativo de Turismo com Atracação

Infra-estrutura aquaviária, instalações de acostagem, facilidades portuárias adequadas ao projeto do terminal e compatíveis aos requisitos operacionais das embarcações-tipo.

 

Plataforma exclusiva de embarque, desembarque e trânsito de passageiros

Recepção, triagem e atendimento aos passageiros.

Salas de espera distintas, instalações para bagagens, acessibilidade para pessoas com necessidades especiais.

Facilidades: marina pública com vagas molhadas, oceanário, museu da maricultura, escola de vela, bares, restaurantes, centro de eventos e anfiteatro, cinemas, hotéis, galeria de arte; dotados de telefones públicos, acesso à internet, informações turísticas e assessoria em emergências médicas e odontológicas.

Terminal Multimodal de Passageiros: transporte hidroviário, aeroviário e rodoviário.

 

Regimes vigentes nos portos

1 - PORTO SOB REGIME DE CONCESSÃO AO GOVERNO ESTADUAL

 

2 - PORTO SOB O REGIME DE DELEGAÇÃO AO GOVERNO ESTADUAL E MUNICIPAL

 

3 - PORTO SOB O REGIME DE CONCESSÃO A ENTIDADE PRIVADA

 

4 - TERMINAIS DE USO PRIVATIVO

Terminal de São Francisco do Sul

Terminal da Dow Química (Itajaí)

 

Terminal da Braskarne (Itajaí)



mapa geográfico de portos maritimos


SIE - Secretaria de Estado de Infra-estrutura

Portos

Quatro portos estrategicamente distribuídos pelos 500 km da costa catarinense fazem de nosso Estado uma grande promessa logística no País. Cada um com características físicas e geográficas exclusivas, assim como concessões diferenciadas.

O Porto de São Francisco do Sul, localizado na Baía da Babitonga, litoral norte, distante 190 km de Florianópolis, é um porto de águas profundas e bem abrigado. As profundidades variam de 8 a 11 metros nos seus quatro berços e 11 metros no canal de navegação, que tem 9,3 km de extensão. O porto é atendido pela ferrovia ALL – América Latina Logística, pela BR-280 e fica cerca de 40 km da BR 101. O porto tem como concessionária a APSFS – Administração do Porto de São Francisco do Sul, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Regional de Joinville. As principais cargas movimentadas no porto são:

- soja, farelo de soja e óleo de soja (armazenados nas instalações em granéis sólidos);

- carga geral em contêineres.

O Porto de São Francisco do Sul é o 4º porto brasileiro no complexo de soja e o 5º porto do Brasil em movimentação de contêineres.

 

O Porto de Itajaí fica no litoral centro, a uma distância de 110 km de Florianópolis, na foz do Rio Itajaí-Açu. Tem profundidade de 9,5 metros em seus quatro berços e 9,9 metros no canal de acesso de 3,2 km. A BR 101, que corta o município, facilita o acesso ao porto, tendo três acessos distintos. A concessão é da Administradora Hidroviária Docas Catarinense (ADHOC), vinculada à Prefeitura Municipal de Itajaí. A 14 km opera a EADI – Estação Aduaneira de Interior, administrada pela Portobello. As principais cargas movimentadas no porto são:

- carga geral em contêineres;

- carga refrigerada em contêineres.

O Porto de Itajaí é o 3º porto brasileiro com maior movimento e o 1o porto brasileiro com carga refrigerada em contêineres, possuindo o maior conjunto de armazéns refrigerados dos portos do Brasil.

 

O Porto de Imbituba está localizado no litoral sul, a 90 km de Florianópolis. É um porto de enseada e não necessita de canal de acesso. As profundidades no porto são de 9,5 metros, nos três berços convencionais; e 8 a 9 metros na rampa para navios tipo roll-on roll-off. O Porto de Imbituba é atendido pela FTC – Ferrovia Tereza Cristina e pela BR 101, distante 6 e 6,5 km pelos acessos Sul e Norte. O porto de Imbituba tem a única concessionária privada do Brasil, CDI – Companhia Docas de Imbituba. A ZPE – Zona de Processamento de Exportação de Imbituba - está a 6 km do porto. As principais cargas movimentadas no porto são:

- produtos químicos e fertilizantes;

- coque (derivado de carvão);

- congelados e açúcar.

 

O Porto de Laguna está situado no litoral sul, a 110 km da Capital do Estado. É um porto lacustre, localizado na Lagoa de Santo Antônio. A profundidade no porto é de 6 metros, com um canal de acesso de 8 a 9 metros e 1,95 km de extensão. O Porto de Laguna está a 8 km da BR-101. O porto é operado pelo Governo Federal por intermédio da Administração do Porto de Laguna vinculado à CODESP – Cia Docas do Estado de São Paulo. É um porto pesqueiro e movimenta pescado e gelo produzidos na fábrica do próprio porto.

 

Balsas e terminais hidroviários

Compete ao Departamento de Transportes e Terminais – DETER, ligado a esta Secretaria, zelar, fiscalizar e buscar soluções para os sistemas de transporte hidroviário, tais como balsa e ferry-boat.

Voltar